Arquivos digitais convertidos em DNA

Um estudo de Nick Goldman e sua equipe do Instituto Europeu de Bioinformática e  publicado na revista Nature apontou que é possível armazenar arquivos digitais em DNA.

Leia detalhes da pesquisa em : http://www.nature.com/nature/journal/vaop/ncurrent/full/nature11875.html

Segundo o jornal britânico The Gardian:

“toda a coleção dos 154 sonetos de Shakespeare estão sendo traduzidos em DNA por cientistas de Cambridge para demonstrar o potencial do armazenamento genético. Uma enorme quantidade de informação poderia ser escrita em partículas de DNA e arquivada por dezenas de milhares de anos, segundo os pesquisadores.

(…) Escrito em DNA , um dos sonetos de Shakespeare pesa 0,3 milionésimos de um milionésimo de uma grama. Uma grama de DNA pode conter tanta informação quanto mais de um milhão de CDs, segundo os pesquisadores.”

Uma grande notícia para a crescente necessidade de preservação e armazenamento de informação digital a longo prazo e que não acessada diretamente, como os sonetos de Shakespeare e tantos outros.

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s